fbpx

Cadastre-se no blog!

Receba as novidades na sua caixa de e-mail.

Nascimento Samuel ~ parto domiciliar Myrtille

September 27, 2018 Vídeo de parto

“Entrar na trilha em direção a vida de mãe é um caminho para a entrega.
Durante os encontros do pré natal, um dia as meninas me disseram que, na hora do parto, eu deveria imaginar que tinha que atravessar um rio me deixando levar pela correnteza. Do lado da gravidez você até entende e pensa “ sim, vou me entregar!” com toda sua determinação genuína. Do lado da “partolândia” você se agarra à grama, aos galhos, às pedras na margem do rio, até se render e dizer “Tá bom, vamos lá!”
Sim é uma travessia intensa e cheia de desafios. Todos eles na maioria foram internos, medos apareciam, olhava para eles, conversava com eles, mas não conseguia a tal da entrega. Até que o medo de ter que ser transferida veio bater à porta. Foi o chacoalhão do qual precisei para mergulhar de cabeça nessas águas que iam me batizar mãe.
Ao mesmo tempo que me senti vulnerável, tive o apoio de toda a equipe. Cada uma das meninas me soprou palavras encorajantes, me relembrando minha força. Por um instante precisei ter fé nas pessoas que me amparavam, porque elas acreditavam em mim enquanto estava ficando desanimada.
Aos poucos, recebendo várias formas de carinho e incentivo, pude me empoderar novamente e me reconectar com meu intenso desejo de dar à luz a esse ser estelar prestes a nascer.
Me lembro da delicadeza das massagens tão relaxantes que até me faziam esquecer a dor que estava outrora gritando por aí.
Ganhei um abraço cheio de ternura materna, como se por um instante minha mãe tivesse ao meu lado me dizendo “Você consegue filha, estou aqui contigo”.
A trilha sonora que nos acompanhava nesse enlaço era “Sabemos parir”, canção na qual toda a força do feminino se expressa, relembrando que todas nós conseguimos parir, porque todas as
mulheres que já o fizeram, sejam elas nossas ancestrais ou contemporâneas, estão conosco, emanando forças. Houve até uma hora que não aguentava mais ouvir a música mas era incapaz de expressá-lo.
A única coisa que eu conseguia era vocalizar, porque estava testando um método musicoterapêutico de alivio da dor. Ainda conseguia emitir uma palavra mas não mais fazer uma frase.
No meio das minhas vocalizações e no aconchego da água quentinha, chegou, com toda a sua doçura e luz, meu amado Samuel.
Ele chegou feito peixinho saindo do ventre para a água.
A emoção que senti naquele momento não tem palavras que a descreva, mas a mais próxima deve ser uma alegre paz que me invadiu.
Quero agradecer com muito carinho à equipe Hanami por ter nos dado as mãos para atravessar o rio e por ter me amparado quanto mais precisei.
À Fran, por ser essa pessoa tao dedicada, amorosa e amiga.
À Sol, por ser essa alma leve e singela.
À Vânia, por ser o dedo verde na minha passagem e por ser tão mãezona.
Às meninas do Além D’Olhar, Suzanne e Vivian, por eternizarem este momento tão precioso através de seus singelos olhares.
E à vocês todas, por nos ajudarem a resgatar a liberdade de parir em casa.
Agradeço a todos os amigos, aos meus sogros e aos meus mestres espirituais que nos abençoaram para esses nascimentos, tanto o do Samuel quanto o meu como mãe acontecerem na guarnição divina.
Quero dedicar essa maior conquista à minha mãe, Ana, que partiu a caminho das estrelas dois meses depois do Samuel nascer, e ao meu marido, companheiro e amigo eterno, Rafael, porque, sem eles, nada disso poderia ter acontecido. Mas sobretudo pelo seus amores incondicionais pois neles me inspiro no Ser mãe.
Desejo a todas as mulheres que vão dar à luz o acolhimento dos seus filhos na paz e no respeito, porque assim mudaremos a história da humanidade.” ~ Myrtille

Myrtille – mãe
Rafael – pai

Equipe
Franciele Volpato – enfermeira obstetra
Soliane Scapin – enfermeira obstetra
Vania Sorgatto Collaço – enfermeira obstetra
Suzanne Shub – vídeo maker e edição de vídeo
Vívian Scaggiante – fotógrafa e vídeo maker

18 setembro 2016 – Florianópolis, SC

Comentários